12 setembro, 2007

não sou o autor, mas tinha de postar...

DIÁRIO DELA:

Ele ficou esquisito a partir de sábado à noite. Tínhamos combinado encontrarmo-nos num bar para beber um copo antes de jantar.

Andei às compras a tarde toda com as amigas e pensei que o seu comportamento se devesse ao meu atraso de vinte minutos. Mas não. Nem sequer fez qualquer comentário, como lhe é habitual.

A conversa e o sítio não estavam muito animados, por isso propus irmos a um lugar mais íntimo para podermos conversar mais tranquilamente. Fomos a um restaurante caro e elegante. A comida estava excelente e o vinho era de reserva.

Quando veio a conta, ele nem refilou e continuava a portar-se de forma bastante estranha. Como se estivesse ausente. Tentei rodar os assuntos para fazer com que se animasse mas em vão.

Comecei a pensar se seria culpa minha ou outra coisa qualquer. Quando lhe perguntei, disse apenas que não tinha nada a ver comigo. Mas não me deixou convencida.

No caminho para casa, já no carro, disse-lhe que o amava. Ele limitou-se a passar o braço por cima dos meus ombros, de forma paternal e sem me contestar. Não sei como explicar a sua atitude, porque não disse que me queria como faz habitualmente. Simplesmente não disse nada.

Começo a ficar cada vez mais preocupada. Chegámos por fim a casa e, nesse preciso momento, pensei que ele me queria deixar. Tentei fazer com que falasse sobre o assunto mas ele ligou a televisão e ficou a olhá-la com um ar distante, como que a fazer-me ver que tudo tinha terminado entre nós.

O silêncio cortado pelo filme era sufocante. Por fim, desisti e disse-lhe que ia para a cama. Mais ou menos dez minutos depois, ele entra no quarto e deita-se a meu lado. Para enorme surpresa minha, correspondeu aos meus beijos e carícias e acabámos por fazer amor.

Não foi tão intenso como normal mas ele pareceu gostar. Apesar de continuar com aquele ar distraído que tanto me aflige. Depois, ainda deitada na cama, resolvi que queria enfrentar a situação e falar com ele o quanto antes. Mas ele já tinha adormecido.

Comecei a chorar e continuei a fazê-lo pela noite dentro, até adormecer quase de manhã. Estou desesperada, já não sei o que fazer. Estou praticamente convencida que os seus pensamentos estão com outra. A minha vida é um autêntico desastre!

DIÁRIO DELE:

O Benfica perdeu. Pelo menos dei uma queca...

8 comentários:

Bruno Taborda disse...

LR : Esta já tem barbas! Para além disso, da próxima vez que fizeres uma posta sem imagem, coloco uma fotografia tua (a menos abonatória que tiver, claro)...

Ervilha Escriba disse...

BT,
Eu tenho Barbas e nunca tive reclamações. Além disso só gosto de coisas antigas, não gosto da novidade.

LR,
Também gosto de posts sem imagem pelo que da próxima vez que puseres um com imagem eu publico uma fotografia tua.

Ervilha Escriba disse...

LR,

Esqueci-me de dizer que gostei imenso do post. Foi o teu melhor :P

BT,

Esqueci-me de dizer para pores uma imagem à tua escolha no post dele, sugiro a capa de um livro do BHL, e que não faças birra :P

Ervilha Escriba disse...

Também posso esclarecer os ouvintes que muito embora o LR e o BT possam "dar" quecas, aqui o Ervi "Manda". Para que conste.

Ervi, o CoMandante

Anónimo disse...

Se eu deixasse um comentário anónimo a esta hora da madrugada toda a gente saberia que tinha sido eu?

Anónimo disse...

E se deixasse dois perceberiam que me distraí com a garrafa de rum aberta?

Anónimo disse...

E três e ixkreveçe axim, xá n çaberião poi n? kurtu bués u kontra - kultura!
kontinuem xavalus!
i u Ervi é u maix gustosu dus tês!
xP

CC disse...

Além disso, uma anedota em que o Benfica perde não tem graça nenhuma.