30 março, 2008

Cosmic Queen

Está confirmado que os Queen irão lançar um novo albúm de originais, provisoriamente intitulado "Cosmos Rock", a 1 de Setembro, 13 anos depois de Made in Heaven. Escrito em conjunto por May, Taylor e Rodgers nos finais de 2007, princípios deste ano, será o primeiro a não conter vocais do dear Freddie.
Como um orgasmo nunca vem só (Ed: bem, às vezes vem!), os Queen + PR anunciaram uma tourné por 14 países da Europa que tem início em Moscovo a 16 de Setembro. The future so bright we gotta wear shades!

29 março, 2008

Concerto : Delícia Keys No Atlântico

Eu sei que não estão habituados a que se fale de música neste pasquim e desde já as minhas desculpas.

Alicia é soberba e, até ver, dos poucos músicos relevantes a terem surgido no Século XXI. Pianista dotada, compositora provada e dona de uma voz que decerto envergonhará a esmagadora maioria dos “artistas” da actualidade, Keys é de um talento avassalador.

Tudo isto, e muito mais, foi fácil de constatar na longa noite mágica de um Atlântico a rebentar pelas costuras. Trinta temas non-stop mostraram a classe pura, o profissionalismo, a simpatia e a boa disposição da Nova-Iorquina. Sem medo de, em muitas canções, se afastar dos arranjos familiares dos LPs, nem de dar protagonismo aos seus músicos e backing singers, Miss Keys foi sempre peixe dentro de água.

Diva da Soul? Nem por isso. Artista madura cujas canções e interpretações têm um apelo universal e transcendem classificação? Sem dúvida nenhuma!

Filme : Ex Drummer



Ontem à noite decidi fazer uma sessão dupla dedicada ao cinema Belga. Comecei por revêr o Any Way the Wind Blows do Tom Barman (o vocalista dos dEUS), que ainda me pareceu melhor do que da primeira vez, e segui com este Ex Drummer, primeira longa metragem de Koen Mortier.

Dries é um escritor famoso que é abordado por um grupo de 3 deficientes particularmente estúpidos que precisam de um baterista (de preferência famoso) para participar num concurso de bandas rock. Assim nascem os The Feminists, e Dries aproveita a sua inteligência superior para começar a manobrar as pessoas à sua volta da forma mais cruel possível.

Sendo o filme mais punk e niilista que vejo em muitos anos, consegue ser insultuoso para quase toda a gente: racista, machista, homofóbico, acho que ninguém se safa... Um espelho que nos apresenta o mais estúpido, cruel e violento da raça humana, é um brutal murro no estômago e de fugir a sete pés para pessoas impressionáveis.

A realização é muito boa: Mortier parece que fez escola a fazer videoclips (não consegui descobrir nenhuma referência) e nota-se. A câmara nunca pára e está sempre a incluir pormenores originais, com cenas invertidas e personagens de pernas para o ar. Na música temos a presença marcante dos Millionaire, com 2 originais e uma versão de Mongoloid dos Devo (e presença disfarçada como concorrentes no tal concurso).

Uma grande surpresa, carregada do mais negro dos humores e com três cores na paleta: o cinzento permanente do céu Belga, o castanho da merda e o vermelho do sangue. ( 4 / 5 )

28 março, 2008

27 março, 2008

Disco : Los Campesinos! - Hold On Now, Youngster

Contrariamente ao que possam (naturalmente) pensar, estes Campesinos! não são el ultimo hit de terras del rey D. Juan, mas sim um conjunto de 7 jovens, originários do Pais de Gales (provavelmente será daí que virá a ironia do "Campónios"), mais particularmente da cidade de Cardiff. A música que fazem pode ser engavetada em "indie-pop-rock-perfection" se quiserem, mas é sem dúvida o disco mais divertido que ouvi este ano.

As primeiras audições podem ser um pouco cansativas, o disco não tem um segundo de descanso, está constantemente a atirar-nos à cara com novos hooks e quartetos de cordas e xilofones, mas com a continuidade os temas começam a ficar descodificados no nosso cérebro e é com alguma dificuldade que de lá saem. A energia tipo Síndrome de Deficiência de Atenção, faz lembrar um pouco os The Go Team, mas é nos cânones do próprio indie que se encontra a principal influência: os Pavement. Até ver são a revelação do ano, e definitivamente a descobrir. ( 4,5 / 5 )

Deixo-vos não um, mas dois videos...


Los Campesinos! - Death To Los Campesinos!


Los Campesinos! - You! Me! Dancing!

(Não consegui resistir a incluir este, dado ser a minha música favorita do disco e estar bem enquadrado na temática de Ficção Cientifica que este blog parece ter adquirido recentemente)

... e o prémio de melhor Dário Valter vai para...

LR 24 : John "Angel" Wayne

Mesma festa de Carnaval que a foto do Ervi anteriormente publicada. O rapaz tinha na altura uma obsessão de carácter claramente homo-erótico com um tal de John Wayne, que entretanto parece ter sido trocado pelo Mekon do Dan Dare (à que explicar as coisas aos mais jovens). Apesar do ar algo sinistro da foto, e da excelente companhia (desfocada) em que se encontrava, sempre me pareceu um pouco mais o Tonto...

Eleição da Imagem Para o Perfil do LR

Depois de cinco anos a blogular o LR dignou-se finalmente a colocar uma imagem no seu perfil. E deixem que vos diga que valeu a pena a espera! As cores, a profundidade, a beleza metafísica, enfim, um mimo! Nem restos de cordão umbilical conservados em frasquinhos de formol, nem um cagalhão do santo padre me emocionariam tanto.

M
as apesar de assim ser, meu caro LR, gostaria de te apresentar propostas alternativas:


Mantendo a base de meia-lua, que parece ser do teu agrado, tens aqui um clássico intemporal. Em miniatura, com ar de ainda ter menos jeito para a bola do que tu e pintado no obrigatório vermelho e branco.


Segue-se algo que apela ao teu espírito de voyeur infantil. Óleo sobre tela a fazer lembrar o melhor da art deco. Simples, belo, eficaz.


O teu auto-retrato de 1986 também é uma hipótese a ter em conta. Não te preocupes que podemos pedir ao Bruno para dar um jeito no photoshop.


O Lone Ranger (LR), o homem que abriu caminho para os Brokeback Mountains deste mundo, na sua postura tradicional homoerótica, de nádegas firmes, empunhado objectos fálicos e de lencinho encarnado ao pescoço. Simplesmente irresistível!


Finalmente temos uma dog tag com o teu nome verdadeiro, o de baptismo pelos teus pares. Design moderno em plástico reciclável, feito manualmente por crianças filipinas. Um verdadeiro must!

PS: Quando escrevi este post ainda não tinha visto o que o precede.

26 março, 2008

o Dário Valter original

Uns bons 20 anos mais velhinho que o outro...

24 março, 2008

Disco : Portishead - Third

Que se lixe o contexto e a introdução. Quem por aqui anda e não sabe quem são os Portishead, é muito pouco provável que algum dia a banda lhe venha a dizer alguma coisa. Muito menos com este disco...

Primeiras impressões: "É muito estranho e muito bom!" - disse eu entusiasmado a dois ou três amigos alguns dias depois das audições iniciais. "Soa a Portishead e a algo completamente diferente (de tudo o que ouvi até hoje)!" - tentando aprofundar um pouco a opinião. Esta primeira reacção mantém-se e fundamenta-se: os vocais e as letras de Beth Gibbons continuam em ferida aberta e a tocar-me ao mais fundo da alma, e são o ingrediente responsável pela familariedade. Musicalmente, acabaram-se os loops, e ficamos quase mais próximos do experimentalismo de uns Radiohead, do que da obra anterior da banda.

Será que valeu a pena esperar 11 anos por este disco? Absolutamente! Para além de todas as minhas expectativas os Portishead conseguiram surpreender-me e prefiro esperar este tempo todo para ter outro disco ao nível dos anteriores, do que ter um mais-ou-menos de 3 em 3 anos. Se tiver de esperar 20 pelo próximo, não me importo, desde que mantenha o nível...

A expectativa para o concerto de próxima 5ª feira (que já era muito grande), está agora no máximo. Há aqui 2 ou 3 músicas com que acho que me vou passar ao vivo: Plastic, We Carry On, Magic Doors e o single Machine Gun (para além de todos os temas obrigatórios dos discos anteriores). Há discos para os quais a palavra genial parece ter sido feita. Este é um deles. ( 5 / 5 )

Para Ti Maria

19 março, 2008

Fotonovela : As Aventuras de Dário Valter II

Nem a descoberta inesperada das maiores reservas petrolíferas do planeta em Lanzarote poderiam levar Dário Valter a imaginar o que estava prestes a acontecer. Depois da retirada unilateral da NATO, da ONU e dos Jogos Olímpicos de Inverno, os Neoconservadores Norte-Americanos liderados pelo temível W. decidiram invadir a paradisíaca ilha sob falsos pretextos e prender todos os homens adultos que possuíssem roupinha interior de super herói.


Considerado um “combatente ilegal” Dário é levado num voo secreto da CIA até ao aeródromo de Tires. Daí segue para a colónia penal ultra secreta das Berlengas, a Guantânamo da Europa, num Renault 5 de 83 e, posteriormente, num barquinho a remos. Lá chegado, é interrogado insistentemente e forçado a cavar valas comuns com as próprias mãos.


As condições no cativeiro são tão infra-humanas que, de forma a manter a sanidade mental, Dário vê-se forçado a filtrar água do mar para ajudar um companheiro de cela hemofílico a fazer diálise manual.


Num dos momentos mais dramáticos de sua vida, Dário assassina Bobbie Wan Cão-Nobri só para sobreviver. Os produtos afrodisíacos à base de cão morto tem grande procura na colónia penal exclusivamente masculina e Dário consegue usá-los como moeda de troca num negócio com um guarda corrupto.


Adquirida a prancha, Dário aguarda pelo momento certo. Estuda ventos e correntes, vê o Prison Break em DVD e a 25 de Abril surfa com sucesso até Peniche.


Depois da obrigatória visita ao forte de Peniche e à sentida homenagem a Cunhal, outro foragido de sucesso, Dário começa progressivamente a regressar à vida normal e à noite. Protegido pela população local, para quem é, justamente, um herói maior que Zé Maria, é neste momento que Dário cria o seu famoso alter-ego de DJ Vader.

18 março, 2008

Jacinto Leite Capelo Rego

Páscoa Com o Coelhinho Félix

Antes que entrem todos em tolerância de ponto, a caminho das Santas Terrinhas para brincar às crucificações, às ressurreições e com partes do corpo acabadas em "ões", antes que se dediquem a comer peixe porque é tradição, a partir dentes com as amêndoas que sobraram do ano transacto e a deitar folar pelos olhos, aproveito para vos desejar uma Páscoa Félix e que o Coelhinho vos acompanhe!!!

16 março, 2008

Movies : Ervi Recommends (Sorry It's In English But The Punchline Only Works this Way)

The Assassination of Jesse etc (3,5/5) - Slow Paced Moody Western

Eastern Promises (4,1/5) - InViggorating Gangster Fare

Mr. Brooks (3,8/5) - Entertaining Serial Thriller

Atonement (4,5/5) - Exquisite Wartime Drama

Star Wars VII : Shit Happens (5/5) - Black Hole Epic

15 março, 2008

Fotonovela : As Aventuras de Dário Valter

Graças ao enorme prestígio granjeado através da sua aparição nestas páginas contra culturais, Dário Valter tornou-se numa figura incontornável da sociedade portuguesa. Membro do jet set por direito próprio, Dário entregou-se de alma e coração às mais diversas filantropias e obras de caridade. Na foto é possível ver a sua visita ao orfanato "Casa do Jedi" nos arredores de Lisboa.
Sempre atento e consciencioso, Valter mudou de indumentária aquando da passagem pelos dormitórios femininos de modo a não ferir susceptibilidades.
Uma cobarde denúncia anónima de uma criancinha ingrata que referia "um chumaço maior do que uma lanterna de pilhas grandes" fez com que o Grupo de Operações Especiais cercasse e prendesse injustamente Dário Valter.
Apesar das maiores manifestações populares desde Abril de 1974 e de cedo se ter verificado que o chumaço não era mais, nem menos que o cabo do sabre de luz, a verdade é que de uns mesitos de prisão preventiva já não se livrou. Tempo durante o qual lhe foi atribuída a nada dignificante tarefa de limpar as latrinas.
Graças à pronta intervenção do Sr. Castanho, um fã incondicional, cuja pressão diplomática e embargo a produtos do Lidl resultou na queda do Governo Português, Dário viu o seu calvário dantesco finalmente terminar.
Magoado com os líderes do seu país, Valter zarpa rumo a Lanzarote, onde consegue passar despercebido e levar uma vida tranquila trabalhando como lambedor de selos na estação de correios de Arrecife.
Aos fins-de-semana dedica-se ao seu hobbie de infância e faz uma perninha nas boxes da Red Bull durante a temporada de Fórmula 1.
Durante uma corriqueira ida ao supermercado na companhia do seu melhor amigo, Palito Colchonero (Ed: Simão, volta!!!), tem uma ideia brilhante que mais tarde lhe irá proporcionar o Nobel em Marketing Vegetal e Publicidade Genital. Um pequeno gesto para um andróide paranóide, mas um salto gigantesco para a humanidade.
E eis que o Amor Acontece. Impressionada com mais este feito notável de Dário, a jornalista australiana Boobbie Redhead, que o tinha entrevistado no cativeiro, apaixona-se perdidamente pelo nosso herói do português macarrónico e da respiração ofegante e metalizada. Da auspiciosa união nascem os gémeos Lucas Dário e Leia Valter.

14 março, 2008

O Dário Valter Agradece

A resposta avassaladora que obtivémos ao nosso pedido de ajuda. Como podem facilmente constatar, Dário recuperou o gosto pela vida e farto do trânsito citadino até optou por uma scooter!

Também readquiriu o prazer pela leitura dos clássicos. Dário é daquelas pessoas a quem se podem emprestar livros à vontade, pois não só os devolve com prontidão, como não acrescenta pedaçoes de mucosa nasal secos página sim, página não.

Por último, a mais doce das notícias: Dário conseguiu emprego como Drag Queen na noite portuense! Um grande bem haja a todos vós que contribuiram para este final feliz!

13 março, 2008

Ghost 2

Coming Soon To a Medium Near You

12 março, 2008

Ervi 24 : O Dedo ao longo do tempo (parte II)

Festa de Carnaval de 1992 (Ervi, venha daí essa correcção!), casa da SN1. Depois de muita bebida e vários acidentes de trabalho, o Ervi (que ia disfarçado de Axl Rose) decidiu juntar peças dos disfarces de todos os amigos: as orelhas da PS, os brincos da SN2, os óculos do Jeffrey, o bastão do RM e as cuecas do LR... Mas O Dedo é todo dele! Uma autêntica dádiva de dEUS às mulheres, e que agora está em perigo de extinção...

O meu disfarce nesta festa limitou-se a um chapéu tirolês que os meus pais me tinham trazido da Alemanha, e a minha máquina fotográfica (usada e abusada ao longo da festa). Mas também tinha as minhas mãos ocupadas com outras coisas...

BD : Freak Angels (Warren Ellis e Paul Duffield)

O Warren Ellis (não tem nada a ver com o dos Bad Seeds) é um dos meus escritores de comics favoritos. Os críticos apontam-lhe o dedo a dizer que é um pouco esperto demais para o seu próprio bem e que na maior parte das coisas que escreve acontece muito pouco, mas o facto é que ninguém actualmente cria personagens tão interessantes como as dele, nem escreve diálogos tão realistas e divertidos (digamos que é uma espécie de Tarantino dos comics). Também é um facto que por vezes tem tendência a escrever demais, se tem umas quantas séries que para mim já entraram para a história da BD (Transmetropolitan, The Authority, Planetary), por vezes também lança coisas nitidamente para ganhar uns cobres (Jack Cross, Ocean), mas mesmo essas conseguem ter algo de minimamente interessante (nem que seja apenas o conceito).

Este Freak Angels é uma primeira experiência em Web Comic gratuito para o autor. E a única coisa que é de estranhar é só acontecer agora: Ellis tem já há muito tempo uma actividade intensa na web, desde o seu blog (bastante interessante por sinal), até uma catrefada de sites em que tem colunas mais ou menos regulares. O artista que escolheu é o quase estreante Paul Duffield, e o trabalho apresentado não só demonstra muito potencial, como se adapta na perfeição ao meio. A publicação é feita ao ritmo de 6 páginas semanais, e começou há cerca de um mês (aqui). Ainda é muito cedo para saber aonde a história nos vai levar, dado ainda se estar a apresentar as personagens e a criar ambiente, mas o estilo parece ser steampunk pós-cataclismo, e até ao momento é mais do que suficiente para justificar a visita semanal...

11 março, 2008

Disco : Nick Cave & The Bad Seeds - Dig!!! Lazarus Dig!!!

Aviso inicial do costume: blah, blah, blah, fã incondicional, bleh, blih, bloh, 20 anos a seguir com fervor religioso, bluh, blah, blih, quem não gosta não vai começar agora...

Faz hoje uma semana que começei a escrever este post e escrevi o paragrafo poético e introspectivo que leram acima. Por falta de disponibilidade temporal e mental, não consegui até agora dar seguimento à coisa, e o mais irritante é que entretanto tenho pelo menos mais uns quatro discos sobre os quais também queria escrever (Gutter Twins, Portishead, Elbow, Los Campesinos!), e dúvido que alguma vez consiga. São os 4 muito recomendáveis e se não quiserem esperar, podem sempre ir descobrindo...

Passando à matéria em análise, este é para aí o centésimo disco do São Nicolau das Cavernas, numa obra em que só existe para mim um único momento menos conseguido (Nocturama de 2003). Como é lógico, numa obra tão extensa, Cave já mostrou várias personas e de todas essas a que sempre preferi foi a do brincalhão libidinoso que volta a dar a cara neste disco. É notória a re-energização resultante do projecto Grinderman e das bandas sonoras com o Warren Ellis: estão mais experimentais (não muito na composição, mas sim nos detalhes), e as letras voltam a ter uma actualidade e uma forma absolutamente brilhantes. Atentem por exemplo a este pequeno excerto de Today's Lesson:

Janie says we're all such a crush of want half-mad with loss
We are violated in our sleep and we weep and we toss and we turn and we burn
We are hypnotised we are cross-eyed we are pimped we are bitched
We are told such monstrous lies

Janie wakes up and she says
We're gonna have a real good time tonight

Mr Sandman, he has a certain appetite for Janie in respose
He digs her pretty knees and that she is completely naked underneath all her clothes
He likes to congregate around the intersection of Janie's jeans, yeah
Mr Sandman the inseminator opens her up like a love letter and enters her dreams


Para mim (e não excluindo a possibilidade de esta visão ser alterada por factores históricos) este é não necessariamente o melhor, mas certamente o disco de Cave que gosto mais desde o Let Love In. 2008 é portanto uma grande colheita, que poderá ser degustada ao vivo nos Coliseus no próximo mês. Vai ser o meu 5º concerto dos homens... ( 5 / 5 )


Nick Cave & The Bad Seeds - Dig!!! Lazarus, Dig!!!

Também Eu Queria


Roubado daqui.

Pedido de Ajuda

Um amigo nosso de infância está a passar um mau bocado. A ASAE confiscou-lhe o sabre de luz e para sobreviver viu-se forçado a fazer os programas da tarde nos canais generalistas. Quem estiver disposto a ajudar o Dário Valter por favor contacte-nos através dos seguintes endereços: btaborda@gmail.com e ervilh@gmail.com. Obrigado.

10 março, 2008

Nós Somos Assim

Mais ano, menos ano, acabamos por evoluir e chegar ao nível 3. Uns de nós saltam o nível 2, outros andam por lá encravados (paradoxalmente nos jogos de computador para se passar de nível à bruta usam-se os cheat modes), mas a verdade é que lá atingimos o Nirvana. Sim, porque se eu soubesse o que sei hoje ainda teria passado horas mais longas na jogatana!

E Mais Um...