22 novembro, 2007

Disco : Dionysos - La Mécanique du Coeur


Já por aqui tinha falado destes senhores em referência ao seu disco anterior (Monsters in Love). E se esse foi um dos meus discos preferidos de 2005, este também já o é para 2007. Os Dionysos são originários de Valence na França e já contam com 14 anos de carreira, sendo este o seu 6º álbum de originais. Mathias Malzieu, o líder visionário da banda, é também escritor e se já no álbum anterior figuravam algumas das personagens dos seus livros, aqui foi mais longe sendo o disco a banda sonora do livro com o mesmo título (e que foi lançado umas semanas antes).

Estamos portanto perante um concept album (glup!), esse género tão repudiado após alguns abusos de indulgência efectuados nos anos 80. O disco (e o livro) contam-nos a história de um tal Jack, nascido no final do século 19 em Edimburgo no dia mais frio do mundo, e por esse motivo pocessor de um coração gelado. Uma mecânica que gosta muito de ajudar os outros (a Dr. Madeleine), troca o seu coração defeituoso por um relógio, mas como condicionante, Jack não se pode enervar e ainda menos se apaixonar... Para contar a história o grupo juntou um grupo impressionante de convidados para encarnar algumas das personages: Rossy de Palma, Jean Rochefort, Alain Bashung, Eric Cantona e Olivia Ruiz (a namorada do pequeno Mathias) entre outros.

Musicalmente a coisa raia de tal forma a esquizofrénico que às primeiras audições até é assustador. Sendo essencialmente uma banda de rock, a música que os Dionysos fazem foge cada vez mais para o género "inclassificável". É frequente a mistura de géneros dentro de uma só música que pode começar como Hip-hop, ter uma parte semi-clássica misturada com canção francesa e acabar no punk rock mais despenteado. As influências de dois compositores de cinema únicos - Ennio Morricone e Danny Elfman - fazem com que, mais do que uma banda sonora, algumas das composições pareçam pequenos filmes por si só. E depois a nível ritmico está recheado de pequenos ritmos de relógio e cucos a apitar, o que parece ter sido utilizado como "argamassa" para juntar todos os elementos dispares de que o disco é feito.

Resumindo: um disco extremamente belo que consegue ao mesmo tempo ter uma elevada dose de diversão, e que demonstra de uma vez por todas que os Dionysos ainda são uma banda em evolução, longe de esgotar a sua criatividade, e com probabilidades de continuar a dar-nos excelentes discos no futuro. Infelizmente suspeito que a insularidade a que a música Francesa se sujeita ela própria, fará com que o disco nem sequer passe por estas (e outras) paragens, mesmo apesar de ter trechos cantados em três linguas (Francês, Inglês e Espanhol). Para aguçar a vossa curiosidade, deixo-vos o brilhante clip de Tais-toi mon Coeur. ( 5/5 )





Tais-toi mon coeur - Dionysos
Uploaded by Dionysos

2 comentários:

xá-das-5 disse...

Belo vid.

Anónimo disse...

Dans tout la musique est magnifique ! Le cantor est très fantastique !