03 novembro, 2007

trust me, I'm a doctor (parte 2)


Acontecimentos recentes, que dispensaria de bom grado, levaram-me a descobrir - ou redescobrir - alguns conceitos: bebedeira, traumatismo, ressaca, enxaqueca, urgências da CUF, tomografia axial computorizada, etc.

Perdido algures nesse fascinante mundo, consegui ainda assim uma extraordinária descoberta, quiçá revolucionária nos anais da Medicina. A enxaqueca é basicamente causada por uma vasodilatação - logo, inventei um método vasoconstritor para aliviar, senão curar, a mesma.
Rapidamente concluí que o método tem outras aplicações. Todos sabemos que o Viagra é um vasodilatador, com o objectivo de resolver a falta daquilo. Mas como resolver o excesso daquilo?
Os meus queridos amigos sabem que, por vezes, a ocasião é pouco propicia para demonstrações de entusiasmo. Na praia, por exemplo - quem aguenta estar horas de barriga para baixo (com risco de apanhar um escaldão nas costas), ou dentro de água? Já para não falar de velórios, funerais, julgamentos, e outras ocasiões funestas, ou de grupos de risco (membros de algumas confissões religiosas ou partidos políticos) aos quais a abstinência devia ser imposta.

Vou pois patentear o meu revolucionário método, a que chamei Pilamine (do grego pila, que significa alegria, e do latim mine, que significa cerveja pequena). Num acesso de generosidade, decidi que os royalties serão divididos pelo Sport Lisboa e Benfica e pela Scuderia Ferrari. Há que zelar pela Humanidade...

2 comentários:

Ervilha Escriba disse...

Olha que o "scarfing" (Asfixiofilia) pode conduzir a graves problemas de saúde, incluindo uma vegetalização, ainda maior, dos teus posts, e em última instância, pode mesmo resultar na morte do solista vasoconstritor.

Ervi, been there, done that

PS: és mesmo hipocondríaca, querida!

M disse...

Isso não parece está a resultar...continuas em grande!