10 março, 2009

Equilibrio

Ontem foi um dia muito estranho, daqueles que deixam uma pessoa a pensar sobre aquelas coisas místicas como o Ying e o Yang e as curvas sinusoidais e outras coisas que mais. Uma daquelas sucessões de acontecimentos que demonstra que, por muito mal que pensemos que a nossa vida esteja a correr, há sempre hipotese de acontecer algo de maravilhoso ao virar da esquina...

Fui almoçar aos Armazéns do Chiado e quando dei a minha refeição / leitura por terminada, pego no casaco que tinha colocado nas costas da cadeira e reparo que estava mais leve do que o habitual. Vou imediatamente verificar se a carteira estava no bolso e verifico que desapareceu. Ainda fiz algumas verificações: junto de pessoas sentadas perto de mim, das senhoras que limpam os tabuleiros, da empregada do restaurante onde comprei a refeição, dos seguranças do centro, mas sem qualquer resultado. Toca a andar para a esquadra da polícia (a 2ª - no Terreiro do Paço - onde já tinha estado anteriormente por assalto no Rossio - história que ficará para contar outro dia), e passar 2 horas para cancelar cartões bancários (e ser roubado novamente) e registar o sucedido (a demora não foi da responsabilidade do agente, que para além de me atender, era telefonista e posto de informações). Eu sei que fui estúpido, e o pior é que antes de me sentar considerei passar a carteira para o bolso das calças, mas como eram de fato não as queria deformar. Também sei que está longe de ser a pior coisa que pode acontecer a uma pessoa, mas que chateia e disturba não há dúvida (e ainda não comecei a epopeia do pedido dos documentos).

Agradeci depois a não sei muito bem quem (talvez a mim próprio), ter o meu passe no bolso da camisa, porque se assim não fosse teria de pedir a alguém que me fosse buscar à esquadra, ou ir a pé, que não sendo uma coisa má (gosto muito de andar) não é praticável em termos de tempo. Fui ao emprego, onde estive duas horas sem condições mentais mínimas para trabalhar (mas tentei), e voltei para casa. Algum tempo depois fiz a posta anterior a esta. Se ainda não a leram, façam o favor de a ler, porque não escrevo para o galheiro. E já agora vão comprar o livro à livraria mais próxima porque vale a pena.

30 minutos depois recebi um email da Mónica Marques:

"Olá Bruno,
Ou diria Bubu?
Muitos muitos beijos
Sou eu a Mónica
ou diria Mómó?
O livro é desordenado, como eu. E isto que nos aconteceu é uma coisa maravilhosa."

Se tinha caído de 4 com as referências à minha rua, com esta caí de 8, 16, 32, etc. Senti um turbilhão no cérebro e um monte de memórias há muito enterradas a virem todas juntas para a minha cabeça. A Mónica era a minha vizinha do andar de cima, e foi minha "namorada" para aí entre os 5 e os 7 anos (que alguém me corrija se estiver errado), isto até àquela altura em que os putos (estúpidos) decidem deixar de gostar de raparigas (muito temporariamente), em que decidi romper com o namoro sem razão aparente. Alguns anos mais tarde mudou de casa (ainda lá fui um par de vezes), e depois perdi contacto. Acho que já lá vão uns 30 anos...

Se o bom do Shakespeare dizia (e tudo me leva a crer com razão): "Hell hath no fury like a woman scorned", peço-te que aceites as minhas desculpas, e espero que não te tenha traumatizado muito. E já agora que a tua vingança seja suave...

Fotografia: Alquin

10 comentários:

Carca disse...

Bonito. Há coisas do caraças!

CC disse...

Cool.

O Homem Terra disse...

Que coisa mais linda :)
Quem me dera uma coisa assim.

PS: viva a promiscuidade luso-brasileira

Angelblue disse...

O Mundo é bem pequenino Bruno, redondo, confuso mas pequenino. Depois de uma coisa negativa tiveste uma bem positiva já viste? Bubu é lindo LOL nem quero imaginar se te chamasses Boris LOL

Beijinho Grande e um excelente dia

Anónimo disse...

Bobó de Camarão?

Angelblue disse...

HAHAHAHA Muito bom quando é bem feito :D

Ervi Mendel disse...

Eu até podia vir para aqui falar do Bobó à Camarinha, mas é melhor perguntar à Luna...

Bruno Taborda disse...

Rapazes : Por uns dias pensei que esta história só tinha direito a comentários masculinos...

Angelblue : Estamos muito saídas da casca hem?

Anónimo : Cheira-me a vegetais pré-congelados...

Ervi : Pedi à Luna para vir aqui defender-me de ti, mas ela disse que eu já era crescidinho demais para isso. Mauzão...

(saí de cena em grande pranto)

Angelblue disse...

Ops! Sorry. Já saltei para dentro da casca outra vez lol.

Ervi Mendel disse...

Deixa-te estar, que estás muito bem fora da casca. O Bruno é meio púdico quando não anda a comprar lingerie, não lhe ligues...