11 fevereiro, 2009

Letras : Underwear (Pulp)


Why don't you shut the door,
and close the curtains,
cos you're not going anywhere.
He's coming up the stairs,
and in a moment he'll want to see your underwear.

You couldn't stop it now.
There's no way to get out.
He's standing far too near.
How the hell did you get here.
Semi-naked in somebody else's room.
I'd give my whole life to see it.
Just you,
stood there,
only in your underwear.

I
f fashion is your trade,
then when you're naked,
I guess you must be unemployed yeah.
Cos once it's underway,
there's no escaping,
the fact that you're a girl and he's a boy.

You couldn't stop it now.
There's no way to get out.
He's standing far too near.
How the hell did you get here.
Semi-naked in somebody else's room.
I'd give my whole life to see it.
Just you,
stood there,
only in your underwear.

If you close your eyes and just remember,
that this is what you wanted last night.
So why is it so hard for you to touch him.
For you to go and give yourself to him?

I couldn't stop it now.
There's no way to get out.
He's standing far too near.
How the hell did you get here,
semi-naked in somebody else's room.
I'd give my whole life to see it.
Just you,
stood there,
only in your underwear.

Do, do do do do. Do, do. Do, do. Do, do, do, do, do. Do, do. Do, do.
Oh yeh,
I want to see you.
Want to see you only in your underwear.



Pois é. Jarvis outra vez. A letra assim a frio até pode não parecer nada de especial, mas quando o rapaz lhe dá com a alma, o caso muda de figura. Isto tudo porque hoje fui comprar a prenda de S. Valentim para a minha Luna, e confesso que "por algum motivo" esta música veio-me à memória.

Ao longo dos anos tornei-me (pelo menos) semi-profissional na compra de roupa interior feminina. Não tenho nenhum fetiche cross-dresser, mas poucas compras me dão tanto prazer. Passei uns quantos anos formativos a ler mensalmente a Arena, a primeira revista de moda para homens "adultos". Dito assim pode parecer um pouco como comprar a Playboy por causa dos artigos, mas o facto é que a coisa tinha muito mais classe, e tinha de facto sugestões culturais bem escolhidas e fora do normal. Isto antes de se tornar em apenas mais uma lad-mag há coisa de 2 anos atrás.

Mas voltando ao prazer, contrariamente ao resto das prendas "tradicionais" destas coisas (por exemplo, irrita-me profundamente comprar flores porque, apesar de bonitas, têm uma duração infima), a roupa interior, quando bem escolhida, é uma prenda win-win-win-win: primeiro ouvem-se frequentemente "piropos" das vendedoras por se ser tão desenvolto na coisa (saber escolher e pedir o tamanho certo deve ser raro entre os homens) e mesmo que não se esteja nesse campeonato faz sempre bem ao ego, depois há o momento da oferta propriamente dita com a admiração e a felicidade demonstradas, segue-se o admirar do objecto dos nossos afectos com as peças que nós escolhemos, e finalmente a possibilidade de que a pessoa amada se lembre mais frequentemente de nós nos momentos em que está distante.

Como resultado e após anos de relação, a minha parceira que antes só comprava aquelas coisas deslavadas e práticas, tem uma colecção admirável de roupa interior, e nunca tem de a comprar, admitindo publicamente (de outra forma não o tocaria aqui) que tenho muito mais jeito para escolher do que ela.

12 comentários:

Ervi Mendel disse...

LR: O gajo saiu da casca! Está tudo desgraçado! Vamos perder grande parte da nossa cota de mercado!

LR disse...

Não será antes "quota"? Cotas somos nós :-)

Bruno Taborda disse...

Não se preocupem rapazes. Já deviam saber que eu não estou no mercado... Fiquem lá com as vossas quotas (ou será cotas ;-)

Ervi Mendel disse...

LR: Não te posso responder sem pôr a tua intimidade a nu (ou será a despido?)

Anónimo disse...

Cota,

s. f.,
quinhão;
prestação;
determinada porção;
quantia com que cada indivíduo de um grupo concorre para um fim determinado;
quota;
citação, nota, referência à margem de um livro;
marca, sinal numérico ou alfabético que serve para classificar ou identificar um processo, arquivo, livro, etc. ;
parte oposta ao gume de um instrumento cortante;
valor que exprime, numa unidade de comprimento, a diferença de nível entre um ponto e outro tomado como referência;
qualquer medida atribuída a um desenho técnico;

O senhor Ervi tem razão. É a mesma coisa.

Angelblue disse...

lool Grande Bruno. Assim é que é ;) desejo-vos muitos dias de S. Valentim por muitos mais Anos, cheios de paixão, o que com a Luna vai ser fácil de concretizar :D Beijo Grande aos dois

luna disse...

amor, é com estas que me "derrubas"! LU

AngelBlue: thks! para ti tudo de bom!!!!

LR e Ervi: lovely!... eheh

Ervi Mendel disse...

LR: Biste? Biste? O Sinhô Ervi é que sabe!

PS: o que andas a fazer acordado às 6h da manhã? Isso é que eu gostava de saber... não me digas que andavas online a comprar lingerie para as tuas Lunas? LOLOL

LR disse...

De manhã cedo é que se torce o pepino.

Ervi Mendel disse...

De manhã não! Um gajo tem de ter princípios....

Anónimo disse...

Bruno: fiquei deveras impressionada. Após anos de relação?!?!? Já não fazem Homens como tu! Luna és uma sortuda. Sinto inveja, saudável é certo, mas inveja.
LR e Ervi: APRENDAM, meninos, APRENDAM!!!

Ervi Mendel disse...

O Bruno sempre foi um bocado panisgas. É verdade.