18 junho, 2006

Retrete III : Anti-nacionalismo em tempos de nacionalismo

Consigo facilmente imaginar os poucos leitores que me restam a sentirem-se completamente exasperados por este meu silêncio superior a um mês... Principalmente porque já me aconteceu o mesmo... Mas a coisa é facilmente justificável por um periodo em que não vi / li / ouvi nada de particularmente recomendável, seguido de uma semana fora do país para apresentar a alucinante cidade de Londres às minhas filhas (prova fotográfica acima... só falta o selo com a data e hora)...

Numa atitude de particular desrespeito pelo principal passatempo nacional e aparente única causa de orgulho e nacionalismo (vulgo "a bola"), parti no dia da estreia da nossa selecção, e regressei no dia do segundo jogo, pelo qual me deram os parabéns no balcão de check-in. Hoje sinto-me como se tivesse uma das piores ressacas da minha vida, apesar de apenas ter consumido durante o dia de ontem um pint de Guinness... Tudo me parece cinzento e desbotado e feio e em camara lenta... Onde estão as multidões multiraciais e multitribais de Oxford Street e Piccadilly Circus e Candem? Onde é que eu vou para conseguir um Espresso Frapuccino? Onde é que é a Virgin / HMV / Borders mais próxima? Olha... por cá tens a FNARC e estás cheio de sorte...

Enfim... Nunca me senti tão atraído pela emigração... Até porque por lá se vêm muito mais bandeiras nas janelas e nos carros do que cá...

P.S. - A inclusão da capa do novo dos The Divine Comedy na foto não é intencional, até porque o disco foi uma tremenda desilusão da qual só consigo gostar de uma faixa (Lady Of A Certain Age)... O resto parece redefinir o significado da palavra pedante...

5 comentários:

Ferrão disse...

Realmente já estava a estranhar a tua ausência e a falta de recomendações culturais alternativas.
Como eu te percebo, é muito mau voltar para Portugal e ver que tudo o que nos agrada lá fora nunca estará neste cantinho da europa... é deprimente de facto.

Bruno Taborda disse...

Olha, agora já estou um 'cadinho mais animado... Mas não muito porque muito é difícil...
Tenho uma série de discos sobre os quais queria escrever, mas não anda nada fácil arranjar tempo... Têm que ter paciência ;-)

xá-das-5 disse...

O melhor que London tem é a ausência quase total de ingleses ;)

Anónimo disse...

E desde quando "pedante" é pejorativo? ;-)
LR

Bruno Taborda disse...

Olha! Quem é vivo sempre aparece!

Como é que vai essa vida de pai?

Olha que eu também não disse que era mau ser pedante. Estava apenas a dizer que provavelmente só pessoas pedantes é que gostariam do disco ;-) Assim como só pessoas bimbas é que gostam de música pimba, estás a ver?